Era só ela

Nós não tínhamos o apoio da imprensa. Nem dos políticos. Nem de sindicatos, empresários, artistas, OAB, CNBB, movimento estudantil, academia, intelectuais, exército, empresas de tecnologia (redes sociais), nada.

Nós só tínhamos: uma mínima habilidade para criarmos blogs, colheres de pau,  panelas e uma camisa velha da seleção brasileira.

Tudo isso pode ser traduzido como “liberdade de expressão”.

Foi o suficiente para derrubarmos um governo corrupto que dominou o país por 13 anos.

Se não a tivéssemos, Dilma Rousseff dedicaria o ano de 2017 para lançar a candidatura de Aloizio Mercadante à Presidência do Brasil.

Por isso a liberdade de expressão é tão importante. E precisa ser defendida, venha a censura do Estado, de entes privados, ou mesmo da cegueira da militância.

Anúncios

Publicado por

Marlos Ápyus

Um cara simples

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s